< Miradouro da alma: Encontro (excerto)

19 maio 2006



Encontro (excerto)



Há noites
em que me encontro
em que me sei
por momentos ser eu

[...]
basta um qualquer sinal
uma luz, um cometa
uma voz
um rasgar na escuridão,
e encontro-me.
[...]
eu, hoje,

sem lágrimas
sem tempo
contas perdidas
nos papeis outrora escritos
quando esperava grandiosidade
e amor
e na mesa do café
deixei um adeus e uma vida
sim, aí chorei
e extinguiu-se o passado.
[...]
- carpe diem!
e eu gozo a noite
não é contradição
mas de verdade
já não conheço o dia

não me sei a haver solstício
ou renascer
de sol que perdi há já muito
[...]
por vezes sei-me contente
eu que toquei já a grandiosidade
e agora sou nada
perdi a lua e o sol
e dos meus astros apenas
restam as estrelas


no céu pinto rastos de cometas
desenho constelações
e recito ao luzeiro
canções de embalar

paro,
sento-me e espero:
creio um destes dias
me encontre de novo
e numa dessas vezes
talvez perceba mesmo
quem sou de verdade
porque aqui estou
e o que é o amor.

Versão integral in Palavras em troca

1 Comentários:

Blogger Cacau escreveu...

Vês-me por aqui? Consegues sentir-me mesmo quando não te escrevo?

Sentes bem, vês bem :)

E gosto disso!

Beijo meu querido

19 maio, 2006 02:32  

Enviar um comentário

<< Home