< Miradouro da alma

07 fevereiro 2006





Quero dizer-te uma coisa simples: a tua
ausência dói-me. Refiro-me a essa dor que não
magoa, que se limita à alma; mas que não deixa,
por isso, de deixar alguns sinais – um peso
nos olhos, no lugar da tua imagem, e
um vazio nas mãos, como se as tuas mãos lhes
tivessem roubado o tacto.

in "
Pedro lembrando Inês" - Nuno Júdice

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home