< Miradouro da alma

26 janeiro 2006





É o poema de quem rasga os versos
porque os sentiu demais para os dizer
e os ouve nas ondas tão dispersos
como os sonhos que teve e viu morrer


António Patrício


1 Comentários:

Blogger bell escreveu...

é verdade, se me permite...

27 janeiro, 2006 01:40  

Enviar um comentário

<< Home