< Miradouro da alma: Every Poem is an Epitaph

23 janeiro 2006



Every Poem is an Epitaph


Desfiz meu corpo nas vivas marés
que os versos me traziam. Solidão
mil vezes retomada, sombra e pó,
palavras que nos doem mais de perto:
tudo desfez meu corpo e neste mar
um navegante encontra o seu deserto.


Luís F. Castro Mendes
Outras Canções

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home